ESCRITÓRIO

ARQUITETURA
IGREJA BATISTA
PRAÇA DO NATAL
MUSEU DO MEIO AMBIENTE
HOTEL PAINEIRAS
CAE MARANHÃO
PAISAGISMO
PARQUE TAMARINEIRA
PARQUE PENEDO
JARDIM HOTEL MARRIOTT
JARDIM BARCHEF
JARDIM FAMÍLIA AVELINO
 
rua antenor navarro . 81 . sl105
jaqueira . recife . PE
contato@rbe.arq.br
81 30480900

www.facebook.com/rbearquitetura



CONCURSO HOTEL PAINEIRAS
O objetivo do concurso foi a elaboração de uma proposta arquitetônica e urbanística para o conjunto denominado Complexo Hotel Paineiras, no Parque da Tijuca, Rio de Janeiro. O conjunto será formado pela Estação de Transferência para carros e vans, pelo Centro de Convenções e Espaços para Exposições, além do secular Hotel Paineiras, que será reativado e transformar-se-á em importante ponto turístico, principalmente àqueles que sobem a estrada do Redentor.


A fim de evitar que o vasto programa de necessidades do projeto se convertesse em um contundente bloco fechado, anexo ao Hotel, optou-se por uma arquitetura de espaços públicos amplos e fluidos que permitam ao visitante escolher variados percursos; uma arquitetura que não se sobreponha ao Hotel, antes recupere seus valores, modernizando-o e integrando-o às atividades do Complexo. Arquitetura de contrastes, relendo a paisagem: ora bruta e escavada em rochas de concreto projetadas e geométricas, ora leve e translúcida com o verde e as águas dominando seus espaços.
O eixo longitudinal do Hotel, marcado por pares de colunatas, foi a origem do partido arquitetônico proposto. Esta linha estende-se ao longo do terreno e coloca o Hotel como ponto focal de todo o Complexo, servindo como referência para a locação de inúmeros equipamentos. O eixo é espacialmente reforçado por uma passarela, cuja função é interligar as extremidades do Complexo e fornecer abrigo suspenso e aberto àqueles que desejam acessar os diversos setores do conjunto, incluindo bilheterias e área de embarque; com o tempo, uma cobertura verde envolverá este longo prisma de aço e madeira, alterando sua imagem a cada estação. Uma grande Paineira Rosa parte do subsolo (onde estão locados auditório, espaços de exposições e outras atividades de cunho cultural) e articula a transição entre a Estação de Transferência e o Hotel.As intervenções realizadas no edifício histórico consistiram na demolição do último pavimento (dando lugar a um restaurante para uso exclusivo de hóspedes), além da criação de espaço de lazer e piscina.